quarta-feira, 5 de março de 2008

AGÊNCIA BRASIL
LULA: DECISÃO DA OEA FOI MADURA E RÁPIDA

Brasília - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva classificou de "extremamente importante, madura e rápida" a resolução firmada hoje (5) pelos integrantes da Organização dos Estados Americanos (OEA) para a criação de uma comissão que vai investigar as circunstâncias da incursão militar da Colômbia no Equador.

"Acho importante, porque vamos aprendendo também que, por mais soberano que seja um país, ele é soberano no seu território e não no território dos outros. Se a gente permite que isso [invasões de territórios] continue acontecendo sem que haja uma ação em conjunto de todos os países, amanhã qualquer fronteira pode ser violada, e as pessoas acham que não têm que dar explicações".

A comissão foi uma
proposta feita pelo governo brasileiro à organização internacional. Segundo o Ministério das Relações Exteriores, ficou acertada uma reunião de chanceleres para tratar da questão.

O presidente disse, ainda, que "pede a Deus" que a harmonia entre os dois países se restabeleça, porque, segundo ele, somente com a paz a América do Sul conseguirá se desenvolver.

"Não há nenhuma perspectiva desse continente dar um salto de qualidade, de crescer economicamente, socialmente, se a gente não estiver vivendo uma política de paz, harmonia e tranqüilidade; se os países não forem verdadeiramente irmãos".

As declarações foram dadas antes de Lula participar da cerimônia de lançamento do 2º Plano Nacional de Políticas para a Mulher, no Palácio do Planalto.

Talvez agora os críticos afoitos da suposta lentidão do governo brasileiro se acalmem e aprendam que as coisas no papel são diferentes da realidade e que não é uma questão de chegar antes, é o que é feito durante para construir o que vem depois.
.

Um comentário:

heliopaz disse...

Eduardo,

Fui um desses. No entanto, minha preocupação maior foi com o fato de Lula não ter dado a cara a tapa, entendes? Todos os presidentes do Cone Sul (até mesmo a Bachellet!) repudiaram midiaticamente a invasão colombiana ao Equador em questão de poucas horas.

Há coisas que precisam ser ditas pelo chefe de estado e de governo imediatamente. Ele é a referência e não pode ficar cheio de dedos em relação à repercussão interna quando o assunto é continental.

Fico bastante contente com o fato dos narcogovernantes Bush (imperialista) e Uribe (sua marionete) terem tido suas ações barradas pela OEA. Afinal de contas, as conseqüências de uma omissão teriam sido catastróficas.

[]'s,
Hélio