sábado, 9 de fevereiro de 2008

DANÇA MACABRA DA DEMOCRACIA ESTILO EUA

John Pilger escreve sobre algo que o carteiro e o poeta já haviam chutado (só para ser justo com Pilger).

O artigo foi publicado em português de Portugal, ora pois, no Esquerda.Net.

Os Estados Unidos da América se apresentam ao mundo como uma democracia que, na verdade, não passa de um desses programas de computador oferecidos como bônus de algum produto em oferta e só trazem alguns itens do original: entre eles, a propaganda enganosa.

O ex-presidente da Tanzânia Julius Nyerere perguntou uma vez:

"Por quer não temos todos direito de voto nas eleições americanas? Toda a gente que tem um aparelho de TV certamente merece esse direito, só por sofrer o bombardeamento cruel a cada quatro anos."

Como cobri quatro campanhas eleitorais para a presidência, dos Kennedys a Nixon, de Carter a Reagan, com os seus Zepellins de superficialidades, seguidores robotizados e esposas deslumbradas, posso simpatizar com esta idéia.

Para ler o artigo inteiro, ó pá, é
nesta direção.

A propósito, o carteiro do poeta adverte:

Adquirir o programa completo tem lá seu preço embutido nas entrelinhas.

Golpes de estado, ditaduras, redemocratizações manipuladas geneticamente, pensamento único e império do sentido sobre o sentimento - p
ericulosamente humano.
.

Um comentário:

Re disse...

Oi, Eduardo!
Conferindo teus últimos post, vejo que estás com a corda toda.
Sucesso, guri!
Abç